segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Relações étnico-raciais e diversidade





Fiquei feliz com a programação da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Veja a programação abaixo. Feliz porque o Brasil é multicultural, portanto não havemos de dar continuidade ao separatismo, manter privilégios etnocêntricos e nem superestimar ou menosprezar essa ou aquela etnia, povo, etc. A igualdade é para tod@s! Óbvio, acreditamos que havemos de reparar, elevar, considerar, contribuir, estimular, promover - aquele ou aquela que foi relegada, subjugada, banida, etc. – queremos dizer, aquele ou aquela que sofreu de alguma forma a estupidez do preconceito, do racismo, da discriminação, da aviltação, etc.

Neste tocante -, os povos indígenas (ameríndios) ou mestiços que descendem dessas matrizes e os que descendem de matrizes africanas (afro-brasileiros ou afrodescendentes) – “ainda” se faz necessário repetirmos o óbvio ululante: estes têm que ser incluídos nas reparações que a sociedade brasileira através de projetos de governos, universidades, empresas, etc. – hão de fazer – por tudo o que passam e passam ao longo destes, (mais) que 511 anos de Brasil, pois a invasão de Pindorama é anterior ao propalado e, eurocentricamente “bem” registrado ano de 1500.

O movimento indígena ou com bem diz também o Daniel Munduruku – Índios em movimento eu ainda diria: Índios em Movimento(s), embora, sabemos dos moimentos (é moimentos mesmo!). Umas práticas têm me moído é como se usa(m) a Lei nº 10.639/03 e a Lei nº 11.645/08. Trabalhemos (também) na perspectiva de Boaventura de Souza Santos: “Devemos lutar pela igualdade sempre que a diferença nos inferioriza mas, devemos lutar pela diferença sempre que a igualdade nos descaracteriza”, como também, podemos, como eu sempre cri desde os anos 70 em inclusive escrevi assim e que e Gil Assis canta num batuque reggaeado”:

Negro e índio se amaram
De cocares, meias-luas, enfeitados
Luas-cheias e de prata
Índio e negro, enfeitiçados
(cúmplices) na Luta e Fé se misturaram!


Fazendo essa alquimia, não vamos diluir nada. Unidade é unidade. Diversidade é diversidade! ìndios, Negros e Brancos podem compartilhar ações que respeitem diferenças, mitigar conflitos para uma coexistência igualitária!

Então, quem estiver na cidade maravilhosa e puder, dá uma passada, e se possível, faz um comentário aqui como foi em PensamentAções, pois estou na Bahia de Castro Alves, de Elomar, Xangai, Carlos Pitta, Fábio Paes, Roze, Wilson Aragão, de Lazzo Matumbi, dos encourados, dos Payayá, dos Tumbalalá, dos Tupinambá, do Pelourinho, de Mãe Stella de Oxossi, de Reginaldo Flores (Conga), do Mestre Pastinha, dos descendentes do Ângelo Pankararé, do Velho Chico, do Rio Joanes...


Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro investe na discussão sobre relações étnico-raciais e diversidade

21/08/2011 por Da Redação

“Seminário e Salas de Conversa Imagens do Brasil: Relações Étnico-raciais, Diversidade, Multiculturalismos”
Dia 23 de agosto de 2011

Local: Auditório da ACM – Rua da Lapa, 86/6 and. – Centro
Realização: Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro
Subsecretaria de Educação – Coordenadoria de Educação


08h – Credenciamento e Café
08h30min às 11h30min – Mesa Redonda: “Dimensões do Racismo: na educação, na mídia, nas estatísticas”
Profa. Dra. Iolanda Oliveira (Penesb/UFF),
Jornalista Ms. Angélica Basthi (COJIRA-Rio)
Prof.Dr. José Jairo Vieira (UFRJ)

Dia 25 de agosto de 2011
Local: Auditório do Instituto Ana Alice – Rua Viúva Dantas, 386 – Campo Grande


08h – Credenciamento e Café
08h30min às 11h30min – Mesa Redonda: “Povos Indígenas: literaturas, histórias e educação”
Prof. Dr. Daniel Munduruku (escritor),
Vincent Carelli (Vídeo nas aldeias)
Prof. Dr. José Ribamar Bessa Freire (PRO-Índio/UERJ)

“Salas de Conversa”
Dia 31/08/2011
Local: Universidade Estácio de Sá – Av. Pres. Vargas, 642 – salas 1001 a 1004, Candelária –Centro
08h – Credenciamento e Café
08h30min às 11h30min – realização das Salas de Conversa

Sala de Conversa:
“A questão indígena na contemporaneidade” – Profa. Ms. Sheila Maria Guimarães de Sá (Museu do Índio).

Sala de Conversa:
“Tenho o ritmo do tambor no pensamento”: História da África na Educação Básica – Profa. Dra. Monica Lima (UFRJ.

Sala de Conversa: “Multiculturalismo e as relações étnico-raciais na escola” – Profa. Dra. Ana Canen (UFRJ.

Sala de Conversa:
“Diálogos com a Lei 10.639/03: a promoção das relações étnico-raciais na educação” – Profa. Dra. Maria Elena Viana de Souza (UNIRIO)
“Seminário e Salas de Conversa Imagens do Brasil: Relações Étnico-raciais, Diversidade, Multiculturalismos”

“Salas de conversa”
Dia 02/09/2011
Local: Universidade Estácio de Sá – Est. do Mendanha, 555 – 3º Piso, salas 104 a 107 – West Shopping – Campo Grande
08h – Credenciamento e Café
08h30min às 11h30min – realização das Salas de Conversa

Sala de Conversa:

“A questão indígena na contemporaneidade” – Profa. Ms. Sheila Maria Guimarães de Sá (Museu do Índio.

Sala de Conversa:
“Tenho o ritmo do tambor no pensamento”: História da África na Educação Básica – Profa. Dra. Monica Lima (UFRJ).

Sala de Conversa:
“Multiculturalismo e as relações étnico-raciais na escola” – Profa. Dra. Ana Canen (UFRJ)
Sala de Conversa: “Diálogos com a Lei 10.639/03: a promoção das relações étnico-raciais na educação” – Profa. Dra. Maria Elena Viana de Souza (UNIRIO).


Fonte: http://revistaafricas.com.br/archives/21011
Fonte das fotos: Google imagens

5 comentários:

  1. Olha que maravilha! Vou ver se consigo ir ver o Vincent Carelli aqui em Campo Grande. Imagina, junto com o Daniel...esse papo vai render boas idéias e lembranças...vou tentar!!! (Bem que você, querido Payayá, podia estar nesse bolo, hã?)

    ResponderExcluir
  2. Ô, Lu, como eu gostaria! Fui muito feliz com vocês! Guardarei no meu gibão caatinguêro a alegria e aconchego d@s kariokas!

    Como nos ensina Graúna, que Ñanderu nos acolha!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. O que mais quero é RESPEITO no Rio de Janeiro,no Brasil e no Mundo inteiro.
    Um abraço meu querido amigo companheiro.

    ResponderExcluir
  4. Ôi RAM, amiga querida, companheira no lazer e luta pelas leituras, que bom você estar por perto! Estamos juntos por R E S P E I TO!!!

    Inté!!!

    ResponderExcluir
  5. Fico mais feliz pela companhia. bjs...

    ResponderExcluir