sábado, 30 de junho de 2012

XXII CANTORIA DE SÃO GABRIEL - BAHIA

XXII CANTORIA DE SÃO GABRIEL - BAHIA


PROGRAMAÇÃO OFICIAL DA XXII CANTORIA DE SÃO GABRIEL - BA
DEDICADA A DÉRCIO MARQUES E RABERUAN

DIA 13 DE JULHO DE 2012, SEXTA-FEIRA

17h – Cortejo
19h – Roda de São Gonçalo – Cultura Popular São Gabriel
20h – Trupe Verso e Corda – Ari, Pita Paiva e Tiú Rocha
21h – Abertura Oficial
22h – Francisco Gui – São Gabriel
23h – Clendson Barreto – Irecê – homenageando Dércio Marques
00h– Xangai – Vitória da Conquista
01h30mim – Forró com Trio Kã-Dinheiro - Mateus, Chico Leite e Elsão

DIA 14 DE JULHO DE 2012, SÁBADO

20h a 20h30mim – Balé e Coral do grupo de idosas do CRAS – São Gabriel
20h40mim – Welton Gabriel
21h30mim – Lane Quinto – Jequié - Samba
23h – Chita Fina – Salvador - 06 mulheres homenageando Luiz Gonzaga
00h30mim – Miltinho Edilberto – violeiro de Minas Gerais
02h00mim – Forró com a Banda Flor de Barriguda – São Gabriel

DIA 15 DE JULHO DE 2012, DOMINGO

15h – Oficina de sanfona com Kelvin Diniz, um dos melhores sanfoneiros do Brasil
17h – Circo Arte em Movimento – São Gabriel e Irecê
20h – Reginaldo Manso e Coral Querubins – São Gabriel
20h40mim – Pedro Hoisel - Ilhéus
22hmim – Saulo Laranjeira – Minas Gerais
23h40mim – Seu Castro - Irecê
01h15mim – Kelvin Diniz – Capim Grosso - Forró

Local: Praça Pedro Gama

A Fundação Culturarte informa e convida aos apreciadores/as da Cantoria para marcarem presença na praça cedo, pois o intuito é garantir os shows nos horários marcados.

Obs.: programação sujeita a alterações de horários

Fundação Culturarte de São Gabriel

Rua Cirilo Tavares Siriema, nº 70, Bairro Nova Brasília. CEP:44915-000 São Gabriel - BA.
fundacaoculturartesg@yahoo.com.br

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Dércio Marques: amou de tal maneira...

MANO DÉRCIO MARQUES amou a Vida de tal maneira que nos fez mais sensíveis e cantantes, esperançosos(as) e amantes dela! Sua voz, seus versos, sua lira, seu carisma, seu testemunho de fé -, enluarado, amoroso com as pessoas, verbenas, jojobas, sapos, duendes, elfos, sertões, cantorias, grilos, caiporas, curupiras, latinoamericanidade: profunda sintonia com os fios da Teia da Vida!

Agorinha, minha caríssima amiga Leu, do Grupo Garra e da Fundação das Artes de São Gabriel -, por onde Dércio tantas vezes fora ali passou participar de cantorias -, foi quem me deu a "notícia" de que Dércio "encantou" nessa terça-feira (26 de junho), partindo de vez para ser uma estrela, um rio, um ramo, uma flor, um aroma... nas dimensões celestes!

O mundo ficou mais pobre, pobre, pobre. Muita gente, o mundo inteiro - precisavam conhecê-lo - embora com sua obra essencial, brilhante, muito, muito, muito acima das mercadorias musicais que tanto atraem as midiocridades, os investimentos perversos na cultura e os empresários inescrupulosos que por certo muito dificultaram e ainda dificultam apoio e acesso a obras com as de tantos artistas da dignidade e magnitude do Dércio Marques.
Sobretudo, quando, por aqui nos lembrarmos dele e cantá-lo com certeza esse mundo volta a fulorar, a fulejar, rio abaixo, rio acima - repletos dos elementos e elementais que tanto ele cantou e com eles conversou nas beiras de rio, nas beiras das estradas, nas noites, nos dias e madrugadas.

Lembro-me sempre, quando eu e Solange Damasceno o acompanhamos numa visita a sítio no coração de uma mata e pelas estradas íamos pelo noite adentro com um andar silencioso para que Dércio fosse gravando os sapos, grilos e outros entes daquele lugar e para depois cantarem junto com ele em suas músicais geniais!!!

Ouça a música Natureza Oculta de Milton Edilberto na voz desse menestrel máximo:

video

Eh, Dércio, mano Dércio, viva, viva, viva agora os espaços inauditos, as glórias dos céus! Voe, voe, voe pássaro-hermano-kybyra-malungo! O mundo aqui continuará precisando de ti. Então, manda de vez em quando um raio, um ramo, um verso, um acorde - pois, você plantou sementes e muito amor entre nós. Nos tornamos pessoas melhores, mais humanas, mais felizes quando tocados pela tua beleza sem par! Por ti e para ti escrevi tantos poemas, tantas músicas e ainda outras tantas escreverei...
Estrelas, rios, passaros, folhas, frutas, flores: segredos revelados pelo Amor de Dércio Marques.

Abaixo, as fotos que Leu Rocha, nossa amiga em comum, gentilmente nos enviou por e-mail:






Veja então as notícias abaixo...

O violeiro, cantor e compositor mineiro Dércio Marques morreu na noite de terça-feira (26), em Salvador, por insuficiência renal, devido a complicações de um câncer no pâncreas. O cantor estava internado há três semanas no Hospital Ana Nery, onde se recuperava da operação de retirada do pâncreas, vesícula e baço.

Segundo Sônia Machado, secretária do músico, Dércio Marques começou a dar sinais da doença em dezembro do ano passado, mas só no início do ano foi diagnosticado com câncer. O corpo do compositor está sendo velado no cemitério Jardim da Saudade e será cremado na quinta-feira (28). A família ainda vai decidir se suas cinzas serão jogadas em um rio ou no mar, duas paixões do músico.
Dércio Marques alternava sua residência entre sua cidade natal, Uberaba, no Triângulo Mineiro, e Salvador. Ele deixa uma companheira e quatro filhos.

















Durante a carreira, o artista buscou retratar a música raiz brasileira. Pesquisador das tradições da terra, Dércio Marques percorreu o Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, para buscar cantigas que retratassem a cultura popular. Dessas andanças pelo vale, ele lançou o CD Fulejo.

Jornal A Tarde, 28 de junho de 2012.

sábado, 16 de junho de 2012

Alegria e compromisso pedagógicos na Formação Continuada de Professores em Catu

Como nos comprometemos em compartilhar, eis as fotos da certificação das(os) participantes da Formação Continuada de Professoras(es) em História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena, no município de Catu na Bahia, esforço e compromisso à implementação das Leis 10.639/03 e 11.645/08, que nesta postagem intitulamos de "Alegria e compromisso pedagógicos" porque dada a força e intergração no envolvimento durante todo o processo na Formação Continuada de Professores em Catu.

Tenho usado bastante esta expressão ALEGRIA PEDAGÓGICA. No processo da formação e na sua culminância no dia da entrega dos certificados não me vinha uma outra assertiva senão esta e certeza de que todas(os) ali estavam contribuindo para a aplicação desta legislação.

Os parabéns são para, desde a Secretária de Educação e Cultura, Profª Maria Joanil Silva Souza e com extensão à sua prefeita, Srª Gilcina Lago de Carvalho - ao pessoal do apoio: Marisa (Mara), Raquel e Cleuza. Os mais efusivos parabéns vão mesmo para quem fazemos as reverências: às professores e professores que participaram desta formação.

Vamos às fotos, numa certa sequência do que aconteceu nesse dia, 12 de junho de 2012.







Prof. Paulo Santos, o apresentador do evento de Certificação.


Composição da mesa. Fala da Secretária de Educação e Cultura,  Profª Mª Joanil Silva Souza.


Performance:  Ekobé etá r-upi r-ayra etá yby: “Pelas vidas dos filhos da terra”. Texto-base em Tupi - Português.

Abaixo, momentos de Koyra - "Tempo agora". Rito  do Nascimento e batismo de uma criança na sociedade indígena. Poesia e canto em Tupi - Português.


Além das aulas teórico-práticas, realizamos algumas oficinas, por exemplo, de peteca, glossário com palavras e expressões em línguas indígenas, sob o predomínio da língua Tupi, artes e pinturas indígenas, estas, com os desenhos comumente utilizados pelas mulheres do povo Kamawyrá. Os conteúdos propostos para a História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena e seus formadores estão na postagem anterior. Ver link: http://ademarioar.blogspot.com.br/2012/05/formacao-de-professores-de-catu-e-as.html#links

Nesse momento da certificação, o Prof. Antônio Cosme nos brindou com a participação brilhante do poeta Giovani Sobrevivente que entre as joias recitadas estava presente a sua provocante poesia "Tia Anastácia". Enquanto ele não nos envia um áudio, veja-o, libérrimo!



As professores cursistas posam após receberem seus certificados.


Havia muito mais a postar aqui. A fim de certa dinâmica tive a dor crucial de nçao expor "tudo", contudo, veja mais alguns dos muitos flagrantes.



Essa é a Zizêlda Viana, figura de força, guerreira na busca dos direitos, das políticas públicas, uma militante arretada do movimento negro, por isso, assistente social para além do assistencialismo. Ela, junto aos professores Zenny Conceição, Paulo Santos, Marivete Araújo, entre outros poucos, lutaram a alguns anos no  município de Catu pelo que depois passou a ser motivo das Leis 10.639/03 e 11.645/08. Então, guerreiras(os) iluminadas(os) já estavam na trincheira. As leis só vieram coroar seus esforços em prol de uma Educação verdadeiramente incluisva e anti-racista.

Valeu!
Valerá!

Fotos: Ana Paula Moreira e Ademario Ribeiro

Referências (Módulo I da História e Cultura dos Povos Indígenas)


A Missão. (The Mission). Direção: Rolland Joffé. Inglaterra: Produção, Stuart Craig, 1986. (125 min), drama. Disponível em vídeo e DVD. Ntsc, som., Legendado. Port. Esp. Ing.

BARBOSA, Pe. A. Lemos. 1956. Curso de Tupi Antigo: Gramática, Exercícios, Textos. Rio de
Janeiro: Livraria São José.

BRASIL. Parâmetros em Ação de Educação Escolar Indígena, Brasília, DF, 2002.
_____. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 1998.
___. LEI Nº 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003. Diário Oficial da União, Brasília, 11 mar. 2008.
____. Parâmetros Curriculares Nacionais, MEC/SEF, 1998.
_____. Referencial Curricular Nacional para as Escolas Indígenas/ Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília: MEC/SEC, 1998.
_____. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB nº 9394/1996).

Construir Notícias, Recife: PE, Nº 04, Ano I, Mar/Abr, 2002.

Declaração das Nações Unidas sobre os Direitos dos Povos Indígenas. Rio de Janeiro : UNIC; Cuiabá : Entrelinhas, 2009. 56p.

NAVARRO, Eduardo de Almeida. Método Moderno de Tupi Antigo, Editora Vozes, 2ª edição, 1998.

PORANTIM. Brasília: CIMI, jan/fev., n. 71/72, 1985: 13.

RIBEIRO, Ademario. História e Cultura dos Povos Indígenas: abordagem transversal fortalecida pela lei 11.645/08. Licenciatura em Pedagogia. Ouro Preto. Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, 2011.
_____. Apape endé abá? Quem é você índio? Peça teatral, edição celebrativa do encerramento do projeto de intervenção, Simões Filho/Bahia, 2010.
_____. Projeto de Intervenção História e Cultura Indígena – passado e presente pra valer. Universidade Federal de Ouro Preto - UFOP, 2010.
_____. Poética Poranduba, Eco-Étnica, de Ademario Ribeiro, Salvador - Bahia, Edição do autor, 2001.

RODRIGUES, Aryon Dall’Igna., 1984. «Contribuições das línguas brasileiras para a fonética e a fonologia». Language in the Americas (org. por D. F. Solá) 263-267. Ithaca: Cornell University.
_____, 1993a. «Línguas indígenas: 500 anos de descobertas e perdas». D.E.L.T.A. 9(1):83-103. São Paulo.
_____, 1993b. «Línguas indígenas: 500 anos de descobertas e perdas». Ciência Hoje 95:20-26. Rio de Janeiro.
SAMPAIO, Teodoro. O tupi na geografia nacional. 6ª Ed. Salvador, Gráfica Falcão, 2010.

SILVA, Edson. Os índios no currículo escolar: as exigências e os desafios da Lei 11.645/2008.

http://ademarioar.blospot.com

http://www.brazil-brasil.com/index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=294

http://www.brazil-brasil.com/component/content/article/25-destaque-nacional/294-aryon-dalligna-rodrigues-nossas-lnguas-alm-do-portugus

http://educarparacrescer.abril.com.br/politica-publica/cultura-indigena-24847.shtml







segunda-feira, 11 de junho de 2012

Vida plena no Xingu: uma possível Bela Utopia

A poucos dias de seu início, Xingu+23 recebe apoio de artistas, cantores e ambientalistas


Natasha Pitts
Jornalista da Adital

 A cada dia o Xingu+23, que acontecerá nos próximos 13 a 17, em Vitória do Xingu, estado do Pará (Norte do país) para debater a resistência à hidrelétrica Belo Monte, recebe mais adesões. Além de artistas que já haviam confirmado presença no evento, há poucos dias o cantor Gilberto Gil, a ambientalista e ex-ministra Marina Silva, o cantor Arnaldo Antunes e o teólogo, filósofo e escritor Leonardo Boff também divulgaram apoio à iniciativa.

Para chamar ainda mais atenção para a luta contra o mega-empreendimento do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), Gilberto Gil cedeu sua canção "Um sonho” para ser transformada em clipe. Em poucos dias a música, que apesar de ser de 1977, ainda é atual, se tornou o hino do evento, por falar claramente sobre a luta contra o desenvolvimentismo, principal discurso em torno de Belo Monte.

Por meio de ações como estas, sobretudo nas mídias sociais, o evento ganhou mais repercussão e deverá receber além de artistas, cantores e ambientalistas de Belém, São Paulo e São Luís, ativistas dos Estados Unidos e da Turquia.

Apesar da intensa participação de outros atores sociais, o Xingu+23 é voltado especialmente para pescadores, ribeirinhos, indígenas, agricultores e demais afetados por Belo Monte com o intuito de discutir as ações de resistência, conversar sobre o futuro dos/as atingidos e suas famílias e fortalecer as ações da população local.

O Xingu+23 faz uma referência ao 1º Encontro dos Povos Indígenas do Xingu, ocorrido em 1989 em Altamira e organizado pelos Kaiapó com a intenção de protestar contra as decisões tomadas na Amazônia sem a participação dos índios e repudiar a construção do Complexo Hidrelétrico do Xingu. No encontro, os indígenas e ativistas conseguiram a primeira vitória na luta contra Belo Monte, pois impediram o primeiro projeto de barramento do rio.

Durante o Xingu+23, os participantes também querem marcar um importante momento de luta e resistência no Brasil. Às vésperas da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20) e da Cúpula dos Povos, que acontecerão no Rio de Janeiro, o Movimento Xingu Vivo para Sempre (MXVPS) e seus parceiros decidiram chamar atenção da comunidade nacional e internacional para os impactos sociais e ambientais de Belo Monte e para as ilegalidades que cercam o seu processo de implantação.

Os interessados em participar podem encontrar informações no site oficial do evento. A estrutura oferecida é um acampamento com espaço para barracas e redes. No local não há sinal de telefonia nem internet.

 Programação

O Xingu+23 terá início na quarta-feira, dia 13, em Vila Santo Antônio, a 50 km de Altamira. A comunidade não foi escolhida por acaso. A Vila foi desapropriada quase em sua totalidade pela concessionária Norte Energia devido à proximidade do maior canteiro de obras de Belo Monte. Após a recepção e o credenciamento acontecerá um debate sobre violações do Licenciamento e Instalação de Belo Monte. O dia será encerrado com a celebração da tradicional missa de Santo Antonio.

No dia 14, ainda na Vila, os atingidos pela obra vão se reunir em grupos para um debate. A programação do dia acabará com uma audiência pública em Altamira. A sexta-feira (15) será reservada para uma marcha e um ato público. Neste dia, a partir das 8h os/as participantes vão iniciar a concentração em frente à empresa de energia Rede Celpa (Avenida 7 de setembro, nº 2190).

Já no sábado, dia 16, acontece a assembleia final do evento seguida por torneio de futebol e a festa do padroeiro da Vila. No domingo, acontece o encerramento.


Fonte do vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=5QLnJLllS1A
Fonte do texto: http://educarencantando.blogspot.com.br/